Prof.a Rosaline Kelly Gomes

Tecnóloga em Estética e Cosmetologia, Aromaterapeuta e Terapeuta Capilar.

E-mail: essencialrose@hotmail.com

Tratamentos Estéticos no Pós-Parto

Após nove meses de expectativas, eis que surge o grande dia! A chegada do bebê.

Esse momento é cercado de sentimentos antagônicos onde alegria e angústias podem alternar-se várias vezes ao longo de um dia. Tudo isso se deve a inúmeros questionamentos em relação ao bem estar do bebê e a insegurança quanto a capacidade de suprir todas as suas necessidades.

 
No Poema Enjoadinho, o poeta Vinícius de Moraes, retratou muito bem esses sentimentos:

"Filhos...Filhos?

Melhor não tê-los!

Mas se não os temos

Como sabê-lo?

Se não os temos

Que de consulta

Quanto silêncio

Como o queremos!

Banho de mar

Diz que é um porrete...

Cônjuge voa

Transpõe o espaço

Engole água

Fica salgada

Se iodifica

Depois, que boa

Que morenaço

Que a esposa fica!

Resultado: filho.

E então começa

A aporrinhação:

Cocô está branco

Cocô está preto

Bebe amoníaco

Comeu botão.

Filho? Filhos

Melhor não tê-los

Noites de insônia

Cãs prematuras

Prantos convulsos

Meu Deus, salvai-o!

Filhos são o demo

Melhor não tê-los...

Mas se não os temos

Como sabê-los?

Como saber

Que macieza

Nos seus cabelos

Que cheiro morno

Na sua carne

Que gosto doce

Na sua boca!

Chupam gilete

Bebem xampu

Ateiam fogo

No quarteirão

Porém, que coisa

Que coisa louca

Que coisa linda

Que os filhos são!"


Esse período é delicado e deve ser tratado com muita cautela e observação, por parte da família e dos profissionais que irão lidar com a puérpera (parturiente).

A incidência de depressão pós-parto ocorre em 15% das parturientes e os sintomas podem ser os mesmos dos considerados normais, o que vai diferenciar é a intensidade e o tempo de duração, além de outros que não são considerados normais e nem tão comuns, entre esses sintomas temos: mudanças de humor, ansiedade, desânimo, irritabilidade, isolamento, rejeição do bebê e até agressividade.

Para que possamos realizar os procedimentos estéticos pós-parto é importante que a cliente esteja bem psicologicamente, qualquer indicio de depressão pós-parto o médico deverá ser comunicado para que providências sejam tomadas.

Mas passado o primeiro impacto às mudanças ocorridas no corpo começam também a causar inseguranças e questionamentos.

Será que minha pele vai ficar manchada?

Meu abdome vai voltar ao normal?

E as estrias?

Geralmente, após um mês do nascimento os tratamentos podem ser iniciados, mas há casos onde o encaminhamento pode ocorrer a partir dos quinze ou vinte dias.

Nas matérias anteriores vimos as alterações fisiológicas na gravidez (edição nº 47) e os procedimentos estéticos no pré-natal (edição nº 48), além das alterações inestéticas ocorridas no corpo devido ao aumento do abdome, aumento da quantidade de hormônios circulantes e problemas circulatórios.

Próximo ao parto alguns hormônios como ocitoxinas e prostaglandinas entram em atividade para que toda a musculatura uterina se contraia e o feto seja expulso, esse processo é mais evidente nos partos normais e perdura alguns dias após o nascimento e, nesse caso, também é percebido mesmo nos partos cesáreos, pois no momento da amamentação ocorrem leves contrações. Essas contrações ajudam a eliminar resíduos do parto e, por conseguinte, contribuem para diminuir o útero.

Portanto é importante estimular o aleitamento materno não só por todos os importantes benefícios para a saúde orgânica e psicológica do bebê, mas por ser uma maneira considerável de reduzir o volume abdominal da parturiente.

Outro fator importante a ser considerado é em relação ao tempo dos tratamentos, que devem ser os mais restritos possíveis, para que o período de ausência do lar não interfira no bem estar do bebê.

Os mesmos cuidados em relação à concentração de ativos e de óleos essenciais citados nos tratamentos durante o pré-natal valerão para os tratamentos pós-parto, enquanto a cliente estiver amamentando.

Todas as terapias alternativas são perfeitas para os procedimentos pós-parto, onde o desconforto físico e mental ocasionados pelas tensões e noites mal dormidas, serão amenizadas por esses tratamentos.

Principais Alterações Pós-Parto:

Aumento do Volume Abdominal: Principalmente depois do terceiro trimestre da gravidez, tanto a pele e a musculatura abdominal sofrem um grande aumento em sua superfície, devido ao aumento do volume uterino, após o parto um volume relativo persiste;

Hipotonia: Devido ao esvaziamento uterino, a pele e os músculos abdominais apresentam flacidez;

Estrias: Quando ocorrem, ficam mais evidentes após o parto;

Diástase do Reto-Abdominal: O aumento do volume uterino, pode ocasionar o afastamento do conjunto de músculos abdominais pelo rompimento das fibras aponeuróticas que formam a linha alba; esse músculo tem entre outras funções, manter os órgãos da cavidade abdominal em suas devidas localizações, esse afastamento dificulta os tratamentos para redução do volume abdominal e pode, no futuro, ocasionar o aparecimento de hérnias;

Cicatrização no Caso de Cesáreas:
Cicatrizes hipertróficas, quelóidianas, fibroses e aderências podem ocorrer;

Manchas: Tema largamente comentado na edição anterior e que após o parto podem regredir totalmente ou parcialmente;

Acne: Podem persistir após alguns meses após o parto;

Eflúvio Telógeno: Após o término da gravidez é comum ocorrer uma acentuada queda capilar devido à diminuição hormonal, que cessará após um período de três a seis meses. Durante a gestação, ocorre uma maior intensidade na fase anágena (fase de crescimento), devido ao maior fluxo sanguíneo e ao aumento de estrógenos durante toda a gestação.

Tratamentos Utilizados no Pós-Parto :

DLM: Remoção de edemas, toxinas e hormônios circulantes;

Estimulação Russa: Tonifica a musculatura abdominal;

Enfaixamento Compressivo: Essa técnica ajuda na compressão do tecido e da musculatura abdominal e, se utilizada respeitando a anatomia e fisiologia do sistema linfático, irá favorecer a drenagem;

Ultra-Som: No modo contínuo irá promover a lipólise da gordura devido ao efeito tixotrópico, que promove movimento e calor na hipoderme; pode-se ainda realizar a fonoforese com o uso de géis com ativos vasomotores e lipolíticos;

Massagem:
Com o objetivo de promover uma melhora na circulação e incorporação de ativos;

Manobras de Cyriax: Para melhora da cicatrização e retirada de fibroses ou aderências, consistem em fricções retas, transversais ou circulares com a polpa dos dedos, utilizando uma pressão média ou profunda, pode-se usar nesses casos cremes que agilizarão a cicatrização ou apenas para facilitar o deslizamento;

Mantas Térmicas de Infra-Longo: Irão promover um gasto calórico, através da sudorese na busca da homeostasia para manter a temperatura corporal; pode ser aplicada com argiloterapia e faixas com sais enzimáticos, que auxiliam na lipólise da gordura e na ativação do metabolismo;

Crioterapia: Idêntico à utilização das mantas térmicas; solicita um gasto calórico, através de contrações musculares que promoverão a horripilação dos pêlos do corpo, na busca da homeostasia para manter a temperatura corporal. Essa técnica pode ser empregada com géis ou líquidos crioterápicos em bandagens; não envolver as áreas tratadas com plásticos ou outros recursos, essa técnica é mais eficiente quando toda área tratada recebe ventilação, para isso a cliente deve ser mantida em pé;

OBS: Alguns procedimentos como DLM, estimulação russa e manta térmica, não deverão ser utilizados, caso a cliente ainda apresente sangramento uterino. Não utilizar a endermoterapia antes de um ano do parto.

Estrias: Só deve ser iniciado após seis meses, principalmente após o desmame; todas as técnicas podem ser utilizadas.

Acne e Manchas: Estão liberadas todas as técnicas utilizadas para esses tratamentos, lembrando apenas da restrição para os ativos, enquanto ocorrer à amamentação;

Acupuntura: Essa técnica tem se mostrado bastante eficaz nos casos de acne e se utiliza do sistema imunológico para promover a melhora do quadro acneico; pode-se associar a DLM.

Comprovação e Eficácia:

Cliente encaminhada com vinte dias após o parto, se submeteu ao tratamento no abdome. Foram realizadas dez aplicações, duas vezes por semana, com as seguintes técnicas: DLM, ultra-som, estimulação russa, massagem e enfaixamento compressivo.

 

Bibliografia

CANELLA, P.R.B., et al Tratado de Reprodução Humana. Rio de Janeiro: Editora Cultura Médica, 1996.
FADYNHA Meditação para Gestantes: O Guia para uma Gravidez Saudável, Plena e Feliz. 6a edição. São Paulo: Editora Ground, 2005.
GOMES, Rosaline Kelly; GABRIEL Marlene Cosmetologia: Descomplicando os Princípios Ativos, São Paulo: Livraria Médica Paulista Editora, 2006.
KEDE, Maria Paulina Villarejo; SABATOVICH, Oleg Dermatologia Estética. São Paulo: Editora Atheneu, 2003.
SALLET, Carla Góes Grávida e Bela. 4a edição, São Paulo: Editora Senac, 2001.
TABER Dicionário Médico Enciclopédico. 17a edição, São Paulo: Editora Manole, 2000.